• Redação Mário Sorrentino

Referência em cardiologia e neurologia na Paraíba, Hospital Metropolitano completa um ano



O Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, referência de alta complexidade em cardiologia e neurologia, adulto e infantil no estado da Paraíba, completa um ano de inaugurado nesta quinta-feira (4). Com uma infraestrutura robusta e moderna, a unidade de saúde possui equipamentos de última geração e uma equipe técnica especializada, suprindo uma lacuna que existia na área da saúde pública do Estado.


Neste primeiro ano de atividade, foram realizadas mais de 5 mil tomografias, outras 4 mil ressonâncias magnéticas, como também cerca de 1.500 procedimentos de angioplastia e cateterismos, e mais de 500 procedimentos neurovasculares, dentre outros.


De acordo com a secretária de Saúde do Estado, Cláudia Veras, o funcionamento do complexo hospitalar é de suma importância para a população. “O Hospital Metropolitano supriu um vazio assistencial na área de cardiologia e neurologia, especialmente nos procedimentos de alta complexidade. Ele representa um avanço muito grande na rede de atenção à saúde da Paraíba com um perfil especialmente dirigido para o atendimento aos dois principais grupos de causas de óbitos no Estado. Hoje, com apenas um ano de existência, podemos atestar sua relevância na vida dos paraibanos. De fato, todos os gestores municipais de saúde reconhecem a importância dessa unidade de saúde, porque havia um vazio assistencial na rede de atenção pública”, frisou.


Já a diretora da unidade de saúde, Roberta Abath, acrescentou que a instituição preza por uma assistência humanizada. “Além dos números expressivos de atendimentos, gostaria de destacar a característica que prezamos na assistência dada aos nossos usuários, tendo como princípio a humanização, pois visamos fazer deste lugar um hospital diferente, onde os cuidados humanizados auxiliam numa melhor recuperação do assistido”, explicou.


O diretor técnico, Jupiracy Gomes, destacou os projetos futuros para o crescimento da instituição de saúde. “Somos um hospital de referência em cardiologia e neurologia de alta complexidade, nossa meta é nos tornarmos uma referência nacional no tratamento dessas patologias. Já recebemos um reconhecimento por parte do ministro da saúde, ao habilitar 30 leitos das nossas UTIs. Esse já é um importante passo dentro da nossa projeção. Queremos estar com a ativação de todos os leitos do hospital; montar o nosso parque de imagem, com a ativação de todos os equipamentos de apoio de diagnósticos da sala de hemodinâmica e ressonância, para oferecer, assim, ao Ministério da Saúde, uma unidade digna de ser uma referência nacional” concluiu.


Por se tratar de uma unidade especializada em casos de alta complexidade, os pacientes atendidos na instituição são regulados via Secretarias Municipais, em sintonia com o sistema de regulação do Estado. Todos os pacientes da unidade são acolhidos no ambulatório, realizam exames complementares e recebem o diagnóstico para tratamento. O Hospital Metropolitano tem capacidade de 226 leitos, sendo 60 de UTI (adulto e pediátrico), além de serviço de diagnóstico por imagem, ambulatório, e Centro Cirúrgico. O Hospital possui heliponto com 40 metros quadrados e capacidade para receber todos os modelos de helicópteros comerciais.


CONQUISTAS


Habilitação - O ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, assinou, em março deste ano, uma portaria para habilitação de 30 leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), sendo estes 20 de UTIs adulto e 10 leitos de UTIs pediátrica. Este investimento anunciado pelo ministro da saúde resulta numa melhor prestação dos serviços. Quando as UTIs são habilitadas, os valores atribuídos a elas correspondem efetivamente para a manutenção de um grupo de leitos dessa ordem, resultando numa produção de serviço mais efetiva destinada aos usuários.


Título – O Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires recebeu uma certificação honrosa, do Hospital de Guarnição de João Pessoa, 7ª Regional. O “Diploma de Amigo do Hospital”, é um reconhecimento da Organização Militar de Saúde aos serviços e a parceria do Hospital Metropolitano. A cerimônia militar de entrega ocorreu em março deste ano, no pátio de formatura do HGuJP, na capital paraibana.


ALGUNS PROCEDIMENTOS


Parkinson: A equipe de neurologia do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires realiza cirurgias de implantação do Deep Brain Stimulation (DBS), um aparelho de neuroestimulação, semelhante ao marca-passo cardíaco, que libera de forma precisa impulsos elétricos em regiões específicas do cérebro. Essa é uma das alternativas para tratamento do Parkinson. As cirurgias contam com toda infraestrutura adequada e equipe médica capacitada. A unidade de saúde possuiu o mais qualificado ambulatório especializado em neurocirurgia funcional, que é área que cuida desse tipo de patologia específica, e conta com grandes profissionais da área da neurologia. Todo atendimento é feito por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).


Cardiologia Infantil: Mais de 400 crianças cardiopatas já foram assistidas no Hospital Metropolitano desde a sua inauguração, em abril de 2018. Uma delas é a Maria Stela, de apenas dois meses. A pequena nasceu com uma grave cardiopatia congênita de perfluxo pulmonar, que ocasiona comprometimento no quadro respiratório, cansaço e insuficiência cardíaca. No Hospital Metropolitano, foi realizada, com sucesso, a cirurgia de Bandagem do Tronco Pulmonar, que conseguiu reverter os sintomas. Em 03 de janeiro desse ano, Maria Stela foi a primeira bebê cardiopata a receber alta da unidade de saúde e, assim como todas as crianças assistidas pela unidade, continuará recebendo tratamento médico especializado, até sua total estabilização.


Neurologia Infantil: Uma patologia de tipo raro foi tratada pela equipe de neurocirurgia do Hospital Metropolitano. O pequeno Matheus Vieira, de apenas sete meses, foi diagnosticado com Meningocele Frontal, que se caracteriza pelo deslocamento frontal congênito do crânio. Na criança, foi realizada por meio cirúrgico a correção do defeito da falha óssea e a reconstrução de toda parte frontal do crânio. A cirurgia durou em torno de 4h e Matheus evoluiu bem, sem intercorrências. A instituição de saúde é a primeira a realizar esse tipo de procedimento pelo SUS no Estado da Paraíba.


INFRAESTRUTURA


Alta tecnologia: O Hospital Metropolitano é a primeira unidade pública de saúde da região Nordeste que dispõe de um dos mais modernos equipamentos na área de neurocirurgias, o Microscópio Zeiss Pentero 800. O microscópio possui lentes de alta resolução, iluminação controlada, vídeo angiografia e interação com neuronavegação. Ele é primordial para execução de neurocirurgias, como: aneurismas cerebrais, malformações arteriovenosas, tumores e patologias vasculares da medula espinhal. Sua alta tecnologia permite ao assistido uma melhor recuperação e qualidade de vida.


Heliponto: Uma bebê prematura de apenas sete dias de vida chegou ao Hospital Metropolitano por meio de uma aeronave de asa rotativa biturbina (helicóptero). A neonata nasceu com um quadro grave de cardiopatia e necessitava de atendimento em uma UTI neonatal especializada, assistência existente no complexo hospitalar. A viagem teve início na cidade do Crato, no Ceará, com duração de 7h e 24 minutos. Um voo com sucesso e cheio de esperança, realizado pela equipe aeromédica da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) do estado do Ceará. O Metropolitano é uma unidade referência cardíaca e oferece uma infraestrutura capacitada no tratamento da patologia. Esse foi o primeiro pouso aeromédico da unidade de saúde.


CAPACITAÇÕES:


As capacitações destinadas aos colaboradores do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires é uma prática frequente, promovida pela equipe da Educação Continuada e Permanente com os setores especializados da unidade de saúde, desde a inauguração. Já foram desenvolvidas mais de 300 atividades com os profissionais que compõem o corpo técnico do complexo hospitalar. Dentre elas:


Liderança humanizada – Visando o aprimoramento e fortalecimento da visão e missão na gestão organizacional, a capacitação desenvolvida com as lideranças e gerências do Hospital Metropolitano teve por foco a autoavaliação nas configurações atuais e nos desafios do gerenciamento de equipes. Cerca de 60 líderes se dispuseram a aprender como melhor desenvolver habilidades e competências para uma comunicação efetiva.


Materiais perfurocortantes – Trata-se de uma atualização sobre os protocolos do manuseio correto dos materiais perfurocortantes, na rotina hospitalar. A capacitação é destinada a todos os colaboradores da Assistência, considerando que estes lidam diariamente com situações de uso de tais materiais, e o descarte correto é fundamental.


Capacitação sobre pacientes em precauções de contato e isolamento- A atividade tem como foco a prevenção de infecções hospitalares, bem como, a contaminação cruzada. Destina-se aos profissionais que lidam diariamente com os pacientes em estado de precaução de contato ou isolamento. Sempre prezando pela saúde, segurança e bem-estar do assistido.


HUMANIZAÇÃO:


“Projeto Novos Ares” - Visando o bem-estar dos pacientes e seguindo as diretrizes da humanização hospitalar, foi desenvolvido pelos fisioterapeutas e a equipe multiprofissional do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, o projeto “Novos Ares”. Por meio dele, pacientes podem realizar exercícios fisioterapêuticos no ambiente externo, fora do leito de internação. As atividades acontecem em uma das áreas de convivência que se encontra na instituição de saúde. Os horários da ação são no início da noite e da manhã.


Musicoterapia – Colaboradores da unidade de saúde desenvolveram um projeto de musicoterapia intitulado “Bate Coração”. Os profissionais percorrem os corredores do hospital caracterizados de palhaços, cantado e tocando instrumentos musicais, com a proposta de levar alegria para os internos, oferecendo a estes um atendimento cada vez mais humanizado.


Capacitação em Libras - Com o propósito de garantir aos assistidos surdos na unidade de saúde um atendimento humanizado, foi implantanda, este ano, a capacitação em Língua de Sinais. A turma pioneira é composta pelos colaboradores da equipe Multidisciplinar, para que estes ofereçam aos pacientes e acompanhantes o direito de se comunicar e serem compreendidos segundo a sua língua. Os encontros acontecem no auditório da unidade de saúde, com duração de duas horas cada, uma vez por semana. Essas ações fazem parte da política de humanização do Hospital.


AÇÕES:


“Mutirão do Coração” – Em setembro de 2018, cerca de 50 crianças encaminhadas pela Rede de Cardiologia Pediátrica receberam atendimento durante o Mutirão do Coração, realizado no Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires. As crianças cardiopatas foram recebidas por uma equipe de acolhimento e, enquanto aguardavam atendimento, participavam de atividades lúdicas e usaram a brinquedoteca do hospital. Após o atendimento, se deu uma apresentação da Camerata do Pólo do Bairro dos Novaes, grupo integrante do projeto Prima. Os pacientes vieram de diversas cidades do Estado, foram avaliados por uma equipe multidisciplinar composta por enfermeiros, nutricionista, psicólogo, odontólogo, assistente social e cardiologista, para encaminhamento de cirurgias futuras, caso necessário. Além disso, passaram por exames de ecocardiograma para acompanhamento dos casos.


Campanha de Doação de Brinquedos” – Os funcionários da unidade de saúde mobilizaram-se no período natalino para compartilhar solidariedade, desenvolvendo uma campanha interna, de doação de brinquedos, com o intuito de montar a brinquedoteca da unidade de saúde. O sucesso da campanha superou as expectativas. O resultado deu-se na montagem de duas brinquedotecas,  dois “Espaço Kids”, sendo um interno e outro externo, além de presentear todas as crianças internas, naquele período, na unidade.


“Natal Feliz” - No mês de dezembro de 2018, os pacientes, acompanhantes e funcionários, do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires tiveram a oportunidade de contemplar apresentações de beleza, delicadeza e muita emoção com as bailarinas do estúdio de dança Ballet Rita Spinelli, e um repertório de músicas clássicas e popular da Orquestra Prima – Polo Alto das Populares. A ação faz parte da política de humanização desenvolvida pela instituição de saúde, que visa amenizar o sofrimento dos pacientes e seus acompanhantes, devido a uma situação de internação prolongada.


“Caia na Folia com o Núcleo de Segurança do Paciente” - A equipe multiprofissional do Hospital Metropolitano aproveitou o clima carnavalesco e realizou neste ano (2019) a ação que visa alertar os profissionais do complexo hospitalar sobre a importância das práticas de segurança do paciente. Abrangendo as equipes assistenciais e administrativas da unidade de saúde, foram abordadas as seis etapas da segurança, tais como: identificação correta do paciente, comunicação efetiva, administração segura de medicamentos, cirurgia segura, higienização das mãos e a prevenção de quedas e lesão por pressão.


#hospital #cardiologia #neurologia

© 2017 por Mário Sorrentino. Orgulhosamente criado pela Equipe.

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco