google-site-verification=x12ECGCyA0KNTkoWmjRcJ_j75nXlJ8lrVJTTDnmc1zI
 

Buscas são retomadas e número de mortos chega a 134 em Brumadinho



O número de mortos na tragédia de Brumadinho (MG) passou de 121 para 134 pessoas, segundo novo boletim divulgado pelas autoridades de Minas Gerais nesta segunda-feira (4). O IML (Instituto Médico-Legal) já conseguiu identificar 120 dos corpos resgatados. Outras 199 continuam desaparecidas. 


As buscas pelas vítimas do rompimento da barragem da Vale, ocorrido em 25 de janeiro, ficaram suspensas durante manhã devido às fortes chuvas que atingiram a região. A previsão é que o tempo continue instável durante toda a semana.


Os bombeiros que atuavam em cima da lama de rejeitos foram deslocados para 10 quilômetros de distância e trabalharam na região onde a lama encontrou o rio Paraopeba. 


"Tivemos que retirar equipes que estariam na zona quente (sobre a lama). Tivemos chuva forte que começou por volta das 5h30. Quando acontece isso, há um movimento de acomodação de rejeitos residuais", disse o porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente Pedro Aihara.


Segundo ele, no início da tarde as equipes começaram a ser enviadas novamente para a chamada área quente. A corporação informou que as equipes retomaram, normalmente, as buscas, exceto num ponto à direita da barragem rompida, que oferece menor segurança.


Ao todo, cerca de 400 profissionais trabalham nas buscas, sendo 200 militares de Minas Gerais, 100 de outros estados e 64 da Força Nacional, além de cerca de 40 voluntários.


Aihara disse que as equipes dispõem agora de 15 máquinas pesadas para a busca dos corpos das vítimas -- antes eram apenas cinco. "Elas serão usadas em locais próximos às margens da lama, que apresentam condições de solidez da lama, que permite esse tipo de trabalho".


Mais cedo, em entrevista ao UOL, o porta-voz afirmou que a estimativa é que os trabalhos em Brumadinho levem até seis meses para serem concluídos. Ele lembrou que no desastre de Mariana, também em Minas Gerais, os bombeiros operaram de forma contínua por três meses. Naquele incidente, 19 pessoas morreram.



(Fonte)