google-site-verification=x12ECGCyA0KNTkoWmjRcJ_j75nXlJ8lrVJTTDnmc1zI
 

Bônus e ônus: Bruno e Tovar disputam escolha de Romero, em CG, mas não querem dar à ‘cara a tapa’...


Bônus e ônus: Bruno e Tovar disputam escolha de Romero, em CG, mas não querem dar à ‘cara a tapa’ pelos erros da gestão



Em ano eleitoral muitos pré-candidatos aparecem no cenário politico disputando o apoio do prefeito ‘A’ ou ‘B’ que esteja em seu segundo mandato, porém poucos dão a ‘cara a tapa’ para justificar os erros das referidas gestões. Em Campina, esse cenário é visto quando temos o ex-deputado Bruno Cunha Lima (PSD) e o deputado Tovar Correia Lima (PSDB), disputando o apoio do prefeito Romero Rodrigues (PSD) para a disputa deste ano, mas silenciando sobre as denúncias que recaem sobre a gestão municipal, a exemplo, a do Ministério Público da Paraíba (MPPB) que em análise recente nas despesas públicas relacionadas ao combate à covid-19, detectou sobrepreço nos produtos, insumos e serviços. Bem como, pronunciamentos em defesa da gestão Romero que também é alvo da ‘Operação Famintos’, que apura desvios milionários na merenda escolar na cidade.


Aparentemente focados apenas em ser ‘o escolhido’ pelo prefeito Romero Rodrigues, para lhe representar nestas eleições, até o momento Bruno e Tovar colecionam críticas de aliados e silêncio sobre as denúncias que recaem sobre a gestão municipal. Tovar, que até o começo de junho estava como secretário de Planejamento da cidade, vem garantindo que já tem a simpatia do prefeito Romero Rodrigues e do ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e quer conversar com ou outros nomes na construção de uma chapa única, apesar de afirmar que ou outros nomes também devam ser avaliados. “Sou pré-candidato com apoio do grupo inteiro. Temos conversado com o prefeito Romero Rodrigues, com o ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) e estou me viabilizando nesse sentido”, disse Tovar acrescentando: “Vamos tentar construir uma candidatura única”, disse o tucano recentemente à imprensa veja: https://bit.ly/2YbgSb2


No mesmo sentido Bruno teria dito numa alusão ao potencial de Tovar: “Tem que mostrar viabilidade administrativa e política. A eleição desse ano, diferente das que já ocorreram, não vai ser eleição que se enfrentará partidos e pessoas. Os debates estarão voltados em modelos administrativos e políticos”, afirmou.

Porém ambos silenciaram sobre a denúncia do MPPB, que detectou na gestão do prefeito de Campina Grande Romero Rodrigues (PSD) e do seu vice-prefeito Enivaldo Ribeiro (PP), um sobrepreço nos produtos, insumos e serviços para o combate à pandemia do Covid-19. A prefeitura de Campina já recebeu do governo federal R$ 14 milhões para o combate a pandemia e que deve receber mais R$ 38 milhões nos próximos dias. Confira detalhes: https://bit.ly/3faYk1N


Ambos, Bruno e Tovar também vêm silenciando durante toda a investigação sobre o escândalo da ‘Operação Famintos’ que investiga desvios milionários nas licitações para a compra da merenda escolar por uma ‘Orcrim’ na atual gestão, e nem cobram o fim da prática de nepotismo instalada na administração. Talvez uma explicação se de, devido a tanto Bruno como Tovar terem inúmeros parentes indicados sem concurso na gestão de Romero, como podemos ver consultando o Sagres do Tribunal de Contas do Estado. Veja: https://bit.ly/3dNbMZt


Além disso, Bruno e Tovar não vêm solucionando outro problema numa eleição que á aglutinação de forças, recentemente ambos foram criticados pelo deputado estadual Manoel Ludgério (PSD), que é aliado do grupo Cunha Lima a várias décadas e foi preterido até então das falas de Romero para sucedê-lo. Sobre Bruno, Manoel disse: “Se o critério for lealdade, preencho o requisito! Com este grupo atravessei longos períodos na oposição. Ivonete foi líder da oposição na Câmara por quase 8 anos, quando Cássio foi brutalmente afastado do cargo de Governador, nenhum Deputado quis liderar a oposição, eu assumi o desafio”, disse Manoel Ludgerio. Confira mais detalhes: https://bit.ly/30pEHyB

Já sobre Tovar, a esposa do deputado estadual do PSD, a vereadora e presidente da Câmara de Campina Grande Ivonete Ludgério, afirmou: “Não tem o meu e nem de quem está perto de mim. Pronto falei.” https://bit.ly/3cP5l6A


Cartório dos Cunha Limas – Recentemente uma nova Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) foi instalada na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) com objetivo de investigar o suposto nepotismo e irregularidades dentro dos cartórios do Estado. A ‘CPI da Máfia dos Cartórios’ teve seu processo de início ontem (12.11) com a coleta necessária de 12 assinaturas e tal processo pode por fim ao monopólio do tradicional Cartório Ivandro Cunha Lima, único cartório especializado em títulos de Registro de Imóveis de Campina Grande e região.


Monopólio dos Cunha Limas em Campina – Em anos anteriores a proposta da ‘CPI da Máfia dos Cartórios’, não logrou êxito, em parte devido ao não apoio do ex-deputado estadual e ex- Chefe de Gabinete da gestão Romero Rodrigues e Enivaldo Ribeiro, Bruno Cunha Lima, que é neto de Ivandro Cunha Lima, titular do Cartório Ivandro Cunha Lima, único cartório especializado em títulos de Registro de Imóveis de Campina Grande e região, localizado na Rua Vidal de Negreiros, 70 – Edifício Nenzinha Cunha Lima, no Centro da cidade, e que além de Ivandro Moura Cunha Lima como titular, tem como substituto, Ivana Borborema Cunha Lima e Marta Cunha Lima de Oliveira. Veja mais: https://bit.ly/3aL504P




#romerorodrigues #campinagrande