google-site-verification=x12ECGCyA0KNTkoWmjRcJ_j75nXlJ8lrVJTTDnmc1zI
 

Bolsonaro nomeia Rolando de Souza, braço direito de Ramagem, como diretor da PF


Nesta segunda-feira, 04 de maio, em decreto publicado em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), Jair Bolsonaro escolheu o novo diretor-geral da Polícia Federal, após cancelar o ato de nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da corporação. O escolhido foi Rolando de Souza.


O novo diretor-geral da PF substitui Mauricio Valeixo, exonerado do cargo na semana passado. Desde então, o cargo máximo da PF estava vago. Rolando era um homem de confiança de Ramagem a frente da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), onde exercia o cargo de secretário de planejamento.


Bolsonaro, durante cerimônia de posse dos novos ministros da Justiça e Segurança Pública e da AGU, realizada na semana passada, falou que “brevemente” concretizará o “sonho” de nomearo delegado Alexandre Ramagem como diretor-geral da Polícia Federal.


Segundo o presidente, o governo vai recorrer e que ele voltará a nomear o delegado para chefiar a PF. “Eu quero o Ramagem lá [na PF]. É uma ingerência, né? Quem manda sou eu. Vamos fazer tudo para o Ramagem. Se não for, vai chegar a hora dele, e vamos colocar outra pessoa”, declarou Bolsonaro na ocasião.


Escolha de Ramagem


Na última quarta-feira, 29 de abril, o presidente Jair Bolsonaro publicou uma ata tornando sem efeito o decreto que nomeou o delegado Alexandre Ramagem como diretor-geral da Polícia Federal.


O documento foi publicado logo após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre Moraes, suspender, após ação impetrada pelo PDT, a nomeação de Alexandre Ramagem no cargo de diretor-geral da Polícia Federal (PF).



#pf #bolsonaro